"No Chakra Anahata começamos a aceitar
e amar incondicionalmente.

Realizamos que apesar das diferenças,
tudo é manifestação da perfeição.

Amamos as pessoas, 
amamos a vida pelo o que ela é."

- Swami Satyananda Saraswati

.

       medit reflexo homem interior

       Para qualquer aspecto da vida que quisermos nos desenvolver, é necessário auto-esforço, disciplina e regularidade até alcançar a maestria. Se quisermos nos tornar bons médicos, precisamos de muitos anos de estudo, de constante empenho para dominar a técnica. Até para ser um bom ladrão, é necessário que se dedique e aprenda os meandros para não ser pego facilmente. Imagine, então, para o maior objetivo da vida, que é o conhecer plenamente a si mesmo, que pode vir através da prática sistemática de yoga.

        O objetivo da yoga é ter o perfeito controle das ondas da mente, com a abstração dos sentidos externos para focar em sua existência interna. Quando isso acontece, há o samadhi. Persistindo nesse controle por mais tempo, segue-se a iluminação. O despertar. O samsara acabou, não há mais sofrimento, apenas felicidade em seu estado puro, que é a sua verdadeira natureza. Pelo objetivo que se busca, o mais alto que um ser humano possa conceber, pressupõe-se que não é tarefa fácil. É necessário esforço e regularidade na prática por um período muito longo, sem interrupções.

        Claro que os benefícios iniciais podem ser experimentados muitas vezes até numa primeira aula de yoga, tal como mais energia e calma. Mas esses não são os objetivos da yoga. E, como qualquer praticante sabe, esses benefícios não são duradouros, eles passam. O objetivo da yoga é libertação, conhecer finalmente a sua essência, livrar-se do emaranhado do ego, realizando a união de sua consciência individual com a consciência universal que permeia a tudo e a todos. Ao chegar nesse ponto, está liberto permanentemente.

        A história das vidas de seres iluminados, tal como Buda, mostra que isso é, inclusive, trabalho de muitas vidas. Mas não precisamos desanimar. Se, nessa vida, passamos a buscar respostas através de qualquer prática espiritual, é bem provável que já tenhamos feito algo nesse sentido em vidas passadas. E, o mais importante, é o agora. Como disse Swami Vivekananda, se sua mente conseguir estabelecer-se plenamente na Liberdade, torna-se liberto agora mesmo. O sucesso na prática depende, portanto, também da intensidade e sinceridade do praticante.

        Voltamos ao conceito da regularidade, ponto essencial para progredir no caminho da Yoga. Regularidade, nas escrituras, foi tratada com o termo sânscrito abhyasa. Patanjali, nos aforismos Yoga Sutras, há mais de 2000 anos afirmou que para o sucesso na prática espiritual é necessário abhyasa, assim definindo:

        Abhyasa: prática regular e constante por um longo período de tempo, sem interrupções.

         Então, o que vem ser essa prática regular?
Praticar yoga 1 ou 2 vezes por semana é abhyasa? Não.
Praticar todos os dias por 6 meses e depois desmotivar-se e ficar 1 ano sem praticar é abhyasa? Também não.

        Como Patanjali e muitos outros mestres afirmaram, abhyasa é prática regular por um longo período de tempo, sem interrupções. E tome-se longo no sentido mais amplo que puder imaginar. Não é por 1 ou 2 anos.  É por toda a vida ou até alcançar o resultado: a libertação. Enquanto não se alcançar a meta, não se pode perder a regularidade.

         Isso não é para assustar o iniciante na yoga. O iniciante, evidentemente, não conseguirá manter essa regularidade desde o princípio. Irá praticar uma, duas ou três vezes por semana. No restante do tempo esquecerá a prática e retomará sua vida como sempre foi. E tudo bem, ainda assim colherá muitos benefícios.

        Mas, gradualmente, persistindo e aprofundando-se nessa prática, essa regularidade é desenvolvida. Ela não nasce pronta. É preciso ser desenvolvida. Muitas vezes tentamos, depois circunstâncias nos desviam da rota. Retomamos, continuamos a progredir. Depois caímos. Mas a cada vez que se retoma a regularidade, retoma-se com mais força. Para auxiliar o desenvolvimento da regularidade vários fatores são importantes:

•    Estabelecer uma meta realista. Não adianta estabelecer que irá praticar 2 horas todos os dias, se a sua vida atual lhe permite apenas 45 minutos. Seja realista, senão irá desanimar.

•    Regularidade no horário. Não perca por nada o horário que estabeleceu para a prática, especialmente nos primeiros anos. Mesmo que tenha ido dormir mais tarde na noite anterior, ainda assim, acorde e pratique. Se for necessário, tire um cochilo depois do almoço. É mais fácil condicionar a mente com horários regulares.

•    Reflita sobre o sentido de sua vida. Aonde você quer chegar? De onde veio e para onde o sentido de sua vida está indo?

•    Reflita sobre os benefícios até hoje alcançados pela prática. Eles são provas vivas que vale a pena persistir.

•    Reflita sobre a vida de almas iluminadas. Buda, Jesus, Ramakrishna, Vivekananda, São Francisco de Assis, Chaitnaya, etc. Ler e refletir sobre a vida de pessoas iluminadas dá um imenso combustível para sua prática.

        Enquanto não realizarmos a importância do caminho espiritual, não o levaremos com a seriedade necessária para alcançar a meta. Refletir sobre esses pontos auxilia no processo de reconhecimento da importância da prática. Quando perceber isso, a Liberdade está batendo à sua porta.

         Hari Om Tat Sat

 

Livros utilizados como base para quem quiser se aprofundar:

Meditation and Spiritual Life - Swami Yatiswarananda - Ramakrishna Advaita Ashrama

Complete Works of Swami Vivekananda -  Ramakrishna Advaita Ashrama

Os Sutras do Yoga de Patanjali - Sri Swami Satchidananda

 

ॐ Ao utilizar um artigo ou trecho cite a fonte e pratique um bom karma ॐ

Arquivo do Blog

Receba novidades por email